Pular para o conteúdo principal

CARNAVAL EM BH

Em 2012, decidi que era um bom momento para conhecer Belo Horizonte. Já havia passado pela capital mineira em outro momento para participar do evento Carnaval Revolução, que reunia grupos e movimentos ativistas para conversas, oficinas, mostras e diversão.
Carnaval Revolução
Fiquei os dias do carnaval, em 2006, rodeada de pessoas dispostas, amigos de longa data e reuniões itinerantes (sim, mudávamos sempre os locais das reuniões, às vezes, quando muito exaustantes, íamos para o bar, já que o evento proibia bebidas alcóolicas). A viagem de ida foi de 20h de estrada em caminhões (fui de carona com um amigo) e a de volta de 12 a 14h, somente carro (com outro amigo, também praticando hitchhiking). Infelizmente, não tive a oportunidade de conhecer a cidade naquela ocasião, embora tenha sido muito proveitosa a imersão.

Seis anos depois, retornei à BH com curiosidade de conhecer um pouco mais a respeito da fama do pão de queijo (não tive sorte, os que comi não foram tão bons quanto os goianos) e de passear por Inhotim, um instituto de arte e botânica gigantesco que fica em Brumadinho, muito próximo de BH. A entrada não é cara, mas leve uma garrafa de água, pois lá dentro tudo que pode ser digerido é extremamente caro.

Inhotim

Em BH, me hospedei no Hostel Chalé Mineiro, no bairro Santa Efigênia, perto do metrô e do bairro Santa Tereza. Estando acomodada, fui à busca de comida, sou vegetariana e já havia pesquisado no site gato-negro.org a respeito de algumas opções veganas/vegetarianas na região. Algumas refeições foram feitas no "Bolão, o rei do macarrão", por estar quase sempre aberto, servir chopp, cachaça e não ser caro.

Nesta região, encontrava muitos foliões e alguns shows por onde andava, o carnaval mostrou-se muito diversificado e ativo (ao contrário de Goiânia). O sotaque goiano é extremamente similar ao mineiro. O uai daqui é, também, o uai de lá! Aliás, uai é nome de tudo, loja, departamento, etc.

No dia seguinte, caminhei pelas ladeiras da cidade e encontrei vários blocos de carnaval e vários carros da polícia escoltando-os (e alguns confrontos entre eles). Parei em um boteco e o assédio de moradores de rua foi inevitável. O fato curioso é que os donos do bar não interviam, o que geralmente acontece em Goiânia quando moradores de rua aporrinham clientes. Geralmente, não tenho receio em relação às pessoas que chegam às mesas fazendo algum pedido, mas, naquele caso, fiquei perturbada.

Aproveitei um dia para visitar o Mercado Central em busca de cachaças de boa qualidade, que não são encontradas tão facilmente em Goiânia. O preço é bastante variável, mas bem mais em conta que aqui no centro-oeste. O Mercado de BH tem um corredor povoado de passarinhos em gaiolas, que deixa o passeio muito angustiante, mas o resto do ambiente é aconchegante.

Ainda espero retornar à Minas Gerais para provar um pão de queijo de vó que faça jus à fama. Também falta conhecer o interior do estado, que é impossível ir tranquilamente na época carnavalesca, pois é muito tumultuado.

Ah, devo dizer, gostei demais de Belo Horizonte!


Carnaval em BH

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os primeiros computadores de Harvard eram mulheres #tradução

Minha [grosseira] tradução do seguinte texto: Harvard's first computers were women.

Muito antes do Mark I chegar no campus da Ivy League, era assim que o primeiro laboratório de computadores de Harvard se parecia:



Chamar esse grupo de mulheres brilhantes de analíticas "computadoras" é muito mais amável do que o seu apelido de outrora, Harem de Pickering. O apelido de mau gosto refletia a embaçada consideração pelo intelecto feminino que ecoava entre os líderes da universidade. Em um discurso de 1869, o presidente da Harvard, Charles W. Eliot, reconheceu: "o mundo sabe quase nada sobre as capacidades mentais naturais do sexo feminino".

Mas em 1881, o astronômo Charles Edward Pickering estava cheio/atolado com dados astronômicos coletados através de observações de telescópio assim como das modernas astrofotografias e viu as "naturais capacidades mentais" das mulheres como a solução. Pickering, então, contratou sua governanta Williamina Fleming como sua…

Repair, Value, Breakdown, Obsolescence and Reuse

Valores no Reparo
Lara Houston
Steven J. Jackson
Daniel K. Rosner
Syed Ishtiaque Ahmed
Meg Young
Laewoo Kange

Para continuar falando de reparo, este texto trata de demonstrar quatro exemplos práticos de grupos que trabalham diretamente com reparos de tecnologias, como celulares. A ideia, no entanto, de discutir valores, é enaltecida com o interesse de trabalhar com "the forms and processes of value grounded in the ongoing work of fixing and maintaining the objects and systems around us". Eles estão ligados às infraestruturas que rodeiam as tecnologias e os seres humanos, sendo muitas vezes referenciados como "interação humano-computador".

Essas interações carregam profundas consequências sociais sobre a distribuição de poder, conhecimento e autoridade nas ordens sociais mediadas. Com exemplos que passam pelos Estados Unidos, Bangladesh e Uganda, os autores mostram como os sistemas de valores nas produções industriais e, também, na formação de conhecimento, influenc…

The Cybernetics Group - #resumo

Não foi fácil encontrar imagens de Heims, inclusive, esta foi a única que encontrei. As informações pessoais também vieram de apenas dois websites, que estão linkadas nesta apresentação. De acordo com a KeyWiki, Heims fugiu da Alemanha nazista para os Estados Unidos, onde conheceu sua esposa com a qual teve uma filha, a jornalista Leila McDowell-Head que, apoiada pelo seu pai, fez parte do Partido dos Pantera Negra. Segundo Wikipedia, os Pantera Negra tinha como finalidade original da organização era patrulhar guetos negros para proteger os residentes dos atos de brutalidade da polícia. Posteriormente, os Panteras Negras tornaram-se um grupo revolucionário marxista que defendia o armamento de todos os negros, a isenção dos negros de pagamento de impostos e de todas as sanções da chamada "América Branca", a libertação de todos os negros da cadeia e o pagamento de indenizações aos negros por "séculos de exploração branca". A ala mais radical do movimento defendia a …