Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2016

mulheres que escolhem ciências da computação

Mulheres que escolhem Ciências da Computação - O que realmente importa

O Google conduziu um estudo para identificar os motivos e experiências que influenciam as mulheres a seguir uma carreira nas Ciências da Computação.

Ele está baseado em quatro termos:

1. Encorajamento Social: de familiares e pessoas próximas;
2. Auto-percepção: interesse em quebras-cabeças e em resolver problemas;
3. Exposição acadêmica: a disponibilidade e oportunidade para participar/fazer um curso na área;
4. Percepção de carreira: a familiaridade com e percepção de ver a Ciência da Computação como uma carreira de diversas aplicabilidades e grande potencial de um positivo impacto social.

Relatório do Google

"De acordo com a National Science Board's "Indicadores da Ciência e Engenharia para 2012", mulheres são apenas 26% das profissionais das Ciências da Computação e Ciências Matemáticas nos Estados Unidos. Esses números são ainda mais gritantes quando notamos que embora os graus acadêmicos femi…

4000 anos de mulheres na ciência

Esse site tem uma catalogação de (mini)biografias de mulheres na ciência.

Eu sempre fico me perguntando porque não temos o mesmo para as personagens do Brasil, ou da América Latina, que seja. Está passando da hora de fazermos algo assim.

As astrônomas Dra. Deborah Crocker (Universidade do Alabama) e Dra. Sethanne Howard (US Naval Observatory) é que mantém o site, ambas estão aposentadas.

Ver ainda:
Pioneiras da ciência no Brasil.As mulheres na ciência brasileira.

staying with the trouble

Staying with the trouble [1] é um termo que eu gosto bastante, me lembra um pouco que o mundo é uma merda, mas que temos que aprender a lidar com ele (e, se possível, transformá-lo). Essa expressão, na verdade, aprendi lendo textos e vendo vídeos de Donna Haraway, autora que tanto aprecio.

Hoje, assistindo Se7en - os setes pecados capitais, me lembrei bem desse termo.




"Vale a pena lutar por ele". Essa é a questão, staying with the trouble significa que reconhecemos que temos um problema, a questão, neste ponto, é individual, vale a pena lutar por ele? No antropoceno, a tendência é acreditar que estamos fadados ao fracasso, à destruição em massa, desnutrição, inanição. Como já predizem as mais variadas ficções científicas (FC) sobre androides (que querem destruir a humanidade, antes que ela destrua todo o resto, inclusive, ela mesma).
Eu tendo a ser tão fatalista quanto os androides da FC. Quem, neste mundo, pode acreditar que vale a pena continuar a reproduzir a humanidade (…

manifesto sobre o silêncio e a tradução #divagação

Estudar e viver o feminismo trouxe muitos amores para minha vida. Acima de tudo, trouxe muita reflexão e consciência a respeito do mundo. Uma autora a quem me apeguei recentemente trata-se da irmã outsiderAudre Lorde, que escreveu a célebre frase "do que mais me arrependo são dos meus silêncios".


Nas noites viradas de escrita de dissertação, persegui cantos de traduções e não-traduzíveis textos sobre conceitos, vidas e reflexões. Spivak tem maravilhosas leituras sobre este caso, uma delas é este texto. Ela mesma escreve que não ministra aulas com textos em que não consiga ler o original.

Há algum tempo questionava colegas que se importavam tanto com traduções - que coisa de filósofos! Ainda questiono. Na verdade, acho que, muitas vezes, há casos em que não há necessidade de tanta atenção. Mas, ainda no feminismo, Haraway chamou atenção ao escrever um verbete para um dicionário alemão sobre a palavra "gênero". Ela alerta que antes da tradução - ou mesmo dentro da t…

recomendados: Donnie Darko #filme

Assista Donnie Darko (tem no netflix!), enigmático e com uma trilha sonora perfeita. (texto raso e com spoilers)



Quando aos dezesseis assisti Donnie Darko pela primeira vez, cheia de marra, deixei de aproveitar os momentos brilhantes deste filme de 2001. A trama do filme, na verdade, gira em torno de um livro que se chama A filosofia da viagem no tempo, de Roberta Sparrow (este link explica bem a analogia do livro no filme). A ideia de viagem no tempo nos parece tão absurda que por vezes, até mesmo por haver essa sugestão, é possível achar que se está assistindo uma viagem esquizofrênica do jovem Donald.

A autora do livro, Roberta Sparrow, é representada no filme como a Vovó morte (Gradma Death). Uma senhora de 101 anos que, permanentemente, vai e volta para sua caixa de correios verificar se recebeu uma correspondência - a teoria apresentada é que ela espera uma carta de alguém que fez a viagem no tempo. Assim como esperado, também, no prefácio de seu livro:

Se eu ainda estiver viva …

Introduction to computers #tradução [sem revisão, em andamento]

Uma pequena observação sobre a tradução deste texto: Richard P. Feynman escreve de maneira bastante informal, algumas vezes usando xingamentos e palavras expressivas como "dumb", "stupid", "stretch our clerck" e, infelizmente, a moralzinha que mora dentro de mim não me deixa traduzir fielmente essas palavras e expressões. Ao longo do texto, elas são traduzidas de uma maneira menos ofensiva, mas vou procurar sempre tentar transmitir o pensamento do autor. A indicação é que as pessoas sempre leiam o original, afinal de contas, essa tradução é apenas para documentação específica dos meus estudos, mas deixo disponível aqui pra eventuais curiosos.



Introdução a computadores [em andamento]

Computadores podem fazer muitas coisas. Eles podem somar milhões de números num piscar de olhos. Eles podem enganar grandes mestres de xadrez. Eles podem guiar armas para seus alvos. Eles podem reservar seu assento em um avião entre um guitarrista e um professor de física não-…