Pular para o conteúdo principal

mulheres que escolhem ciências da computação

Mulheres que escolhem Ciências da Computação - O que realmente importa

O Google conduziu um estudo para identificar os motivos e experiências que influenciam as mulheres a seguir uma carreira nas Ciências da Computação.

Ele está baseado em quatro termos:

1. Encorajamento Social: de familiares e pessoas próximas;
2. Auto-percepção: interesse em quebras-cabeças e em resolver problemas;
3. Exposição acadêmica: a disponibilidade e oportunidade para participar/fazer um curso na área;
4. Percepção de carreira: a familiaridade com e percepção de ver a Ciência da Computação como uma carreira de diversas aplicabilidades e grande potencial de um positivo impacto social.

Relatório do Google

"De acordo com a National Science Board's "Indicadores da Ciência e Engenharia para 2012", mulheres são apenas 26% das profissionais das Ciências da Computação e Ciências Matemáticas nos Estados Unidos. Esses números são ainda mais gritantes quando notamos que embora os graus acadêmicos femininos em Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemáticas estejam crescendo, a participação feminina nas Ciências da Computação, especificamente, diminuiu para 18% de um topo de 37% dos anos 1980."

Leia o texto completo aqui, em inglês.


I e eu instalando uma computadora nos idos de 2006.



Além disso, essa dissertação da Universidade de Oregon sustenta a ideia que as mulheres podem ser incentivadas a fazer computação quando são apresentadas a tecnologia e matemáticas durante a infância. Ela defende que o uso do pensamento computacional na educação primária poderá ajudar a desenrolar esse problema. O pensamento computacional parece ser uma promessa de expansão do ensino nas áreas de ciência e matemática, além das ciências computacionais, como mencionado também neste texto brasileiro, que fala do déficit de profissionais no Brasil. Também vale a pena ler este texto, que também incentiva o ensino do pensamento computacional no ensino básico.

Outrossim, diversos textos ressaltam a importância de que mais mulheres participem de palestras como a campanha "convide uma mulher para palestrar", outras ressaltam que as mulheres são excluídas, também, de prêmios de grande importância mundial, como o Nobel.

Das 575 pessoas agraciadas com o Prêmio Nobel de Medicina, Química e Física, apenas 16 eram mulheres. (fonte)

Ainda, não apenas marcas como o Google, como a L'oreal criou um prêmio específico para mulheres na ciência. Uma astrofísica brasileira, recentemente, ganhou o prêmio em sua versão internacional, além disso, uma cientista física brasileira também foi premiada internacionalmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os primeiros computadores de Harvard eram mulheres #tradução

Minha [grosseira] tradução do seguinte texto:  Harvard's first computers were women . Muito antes do Mark I chegar no campus da Ivy League, era assim que o primeiro laboratório de computadores de Harvard se parecia: Chamar esse grupo de mulheres brilhantes de analíticas "computadoras" é muito mais amável do que o seu apelido de outrora, Harem de Pickering . O apelido de mau gosto refletia a embaçada consideração pelo intelecto feminino que ecoava entre os líderes da universidade. Em um discurso de 1869, o presidente da Harvard, Charles W. Eliot, reconheceu: "o mundo sabe quase nada sobre as capacidades mentais naturais do sexo feminino". Mas em 1881, o astronômo Charles Edward Pickering estava cheio/atolado com dados astronômicos coletados através de observações de telescópio assim como das modernas astrofotografias e viu as "naturais capacidades mentais" das mulheres como a solução. Pickering, então, contratou sua governanta Williamina F

Repair, Dhaka, Kavango, Paraguai #resumo

Ao som de PJ Harvey. Textos: Designing for Repair? Infrasctructures and Materialities of Breakdown  Daniela K. Rosner, Morgan G. Ames Learning, Innovation, and Sustainability among Mobile Phone Repairers in Dhaka, Bangladesh Steven J. Jackson, Syed Ishtiaque Ahmed, Md. Rashidujjman Rifat Repair Worlds: Maintenance, Repair, and ICT for Development in Rural Namibia Steven J. Jackson, Alex Pompe, Gabriel Krieshok As experiências de Dhaka, Kavango e Paraguai têm elementos comuns e heterogêneos - são espaços permeados por uma historicidade colonizada, marca por tecnologias e economias desfavoráveis quando comparadas aos Estados Unidos. Essa distinção ficou mais marcada nestes textos, que também pareceram ter uma preocupação maior em pensar os artefatos sociotécnicos, as culturas, mundos sociais e formação de fronteiras. Em algum momento, o conhecimento tecnológico também aparece como um espaço de privilégio. É interessante pensar esse espaço de privilégio mesmo quan

Parceria entre Mozilla e ONU Mulheres para empoderamento feminino digital

Uma parceria da Mozilla com a ONU para empoderar mulheres em questões digitais na África está sendo desenvolvida. O projeto procura promover esse empoderamento para diminuir as desigualdades de gênero e geográficas, acreditando que a web é um espaço propício para grande oportunidades, especialmente, na promoção de igualdade. O projeto, que já passou pela Índia, Indonésia e Brasil, deve corre até o fim de 2016, como segue no trecho do texto traduzido diretamente deste website . Tradução/Translation A internet é mais poderosa quando qualquer pessoa - independente do gênero ou geografia - pode participar igualmente. Uma web verdadeiramente aberta deve abrir oportunidades educacionais, econômicas e cívicas para todas as pessoas, em todos os lugares. Motivados por essa crença principal, Mozilla e ONU Mulheres - uma entidade das Nações Unidas dedicada ao empoderamento de mulheres estão se juntando para ensinar habilidades digitais para garotas e mulheres em Nairobi, Kênia e Cape Town, n