Pular para o conteúdo principal

As computadoras - filme

O filme The Computers foi lançado esse ano e conta a história das programadoras do ENIAC, que também eram conhecidas como computadoras. Elas trabalharam nas máquinas que contribuiriam efetivamente na segunda guerra mundial (guia de mísseis, etc).

A construção do Electronic Numerical Integrator and Computer durou três anos.

Segundo Pierre Levy, em A invenção do Computador:

O ENIAC continha 19.000 tubos de vácuo interconectados segundo um plano labiríntico, o que fazia dela uma das máquinas mais complexas alguma vez construídas. Os números eram codificados na calculadora em “decimal unário” (cada algarismo era representado pelo número de impulsos correspondentes num “anel” com dez lugares, e havia um anel das unidades, um anel das dezenas, etc.
(...)
O ENIAC foi finalizado em 1946. Não serviu, portanto, para a vitória dos aliados nem para calcular as tabelas de tiro e de bombardeamento nem acelerar os cálculos necessários para construção da bomba atômica, que explodiu nos dias 6 e 9 de Agosto de 1945 sobre Hiroshima e Nagasáqui.

 O objetivo do documentário é:

The Computers is an inspirational story that will change stereotypes and throw open doors. It will help students see that technology careers lie within their grasp, and computing  professionals know that their field’s greatest computing pioneers included women and men!

Ainda está disponível apenas o trailer, mas é possível assistí-lo através da compra disponível por 48h no site da vimeo. Veja o trailer aqui:

ENIAC Trailer - Created with Studio G for Google I/O from Kathy Kleiman on Vimeo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os primeiros computadores de Harvard eram mulheres #tradução

Minha [grosseira] tradução do seguinte texto:  Harvard's first computers were women . Muito antes do Mark I chegar no campus da Ivy League, era assim que o primeiro laboratório de computadores de Harvard se parecia: Chamar esse grupo de mulheres brilhantes de analíticas "computadoras" é muito mais amável do que o seu apelido de outrora, Harem de Pickering . O apelido de mau gosto refletia a embaçada consideração pelo intelecto feminino que ecoava entre os líderes da universidade. Em um discurso de 1869, o presidente da Harvard, Charles W. Eliot, reconheceu: "o mundo sabe quase nada sobre as capacidades mentais naturais do sexo feminino". Mas em 1881, o astronômo Charles Edward Pickering estava cheio/atolado com dados astronômicos coletados através de observações de telescópio assim como das modernas astrofotografias e viu as "naturais capacidades mentais" das mulheres como a solução. Pickering, então, contratou sua governanta Williamina F

Repair, Value, Breakdown, Obsolescence and Reuse

Valores no Reparo Lara Houston Steven J. Jackson Daniel K. Rosner Syed Ishtiaque Ahmed Meg Young Laewoo Kange Para continuar falando de reparo, este texto trata de demonstrar quatro exemplos práticos de grupos que trabalham diretamente com reparos de tecnologias, como celulares. A ideia, no entanto, de discutir valores, é enaltecida com o interesse de trabalhar com " the forms and processes of value grounded in the ongoing work of fixing and maintaining the objects and systems around us ". Eles estão ligados às infraestruturas que rodeiam as tecnologias e os seres humanos, sendo muitas vezes referenciados como "interação humano-computador". Essas interações carregam profundas consequências sociais sobre a distribuição de poder, conhecimento e autoridade nas ordens sociais mediadas. Com exemplos que passam pelos Estados Unidos, Bangladesh e Uganda, os autores mostram como os sistemas de valores nas produções industriais e, também, na formação de conheciment

Repair, Dhaka, Kavango, Paraguai #resumo

Ao som de PJ Harvey. Textos: Designing for Repair? Infrasctructures and Materialities of Breakdown  Daniela K. Rosner, Morgan G. Ames Learning, Innovation, and Sustainability among Mobile Phone Repairers in Dhaka, Bangladesh Steven J. Jackson, Syed Ishtiaque Ahmed, Md. Rashidujjman Rifat Repair Worlds: Maintenance, Repair, and ICT for Development in Rural Namibia Steven J. Jackson, Alex Pompe, Gabriel Krieshok As experiências de Dhaka, Kavango e Paraguai têm elementos comuns e heterogêneos - são espaços permeados por uma historicidade colonizada, marca por tecnologias e economias desfavoráveis quando comparadas aos Estados Unidos. Essa distinção ficou mais marcada nestes textos, que também pareceram ter uma preocupação maior em pensar os artefatos sociotécnicos, as culturas, mundos sociais e formação de fronteiras. Em algum momento, o conhecimento tecnológico também aparece como um espaço de privilégio. É interessante pensar esse espaço de privilégio mesmo quan